segunda-feira, 21 de março de 2016

Obama se reunirá hoje com Raúl Castro e empreendedores cubanos

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, se reunirá nesta segunda-feira, no segundo dia de sua visita a Cuba, com o ditador cubano, Raúl Castro, e participará de um fórum de negócios entre líderes empresariais americanos e empreendedores cubanos do incipiente setor privado da ilha. Obama e Castro terão uma reunião oficial no Palácio da Revolução, palco do terceiro encontro entre os dois desde o anúncio do restabelecimento de relações.
Na agenda do encontro, há um espaço de mais ou menos uma hora de reunião bilateral, que depois se ampliará às delegações oficiais do governo cubano e americano; e ao término do encontro Obama e Raús Castro farão uma declaração à imprensa. Na parte da tarde, o presidente americano participará de um fórum de negócios entre líderes empresariais dos EUA com representantes de companhias estatais cubanas e o setor privado da ilha, cooperativas e os chamados "cuentapropistas", ou empreendedores.
O governo dos Estados Unidos expressou em várias ocasiões sua intenção de ajudar no desenvolvimento desse setor emergente que está abrindo passagem em Cuba e que está modernizando sua economia. Entre os americanos, participarão desse encontro o fundador da empresa americana de aluguel de imóveis particulares Airbnb, Brian Chesky; o diretor administrativo da rede hoteleira Starwood, Kenneth S. Siegel e o executivo-chefe de PayPal, Daniel Schulman; além do chef espanhol José Andrés, que possui vários restaurantes nos EUA.
Também participará desse fórum o cubano-americano Saul Berenthal, cofundador da Cleber, a primeira empresa americana que conseguiu, no mês passado, uma licença do Departamento do Tesouro para instalar-se em Cuba - no caso, uma fábrica para produzir tratores na Zona Especial de Desenvolvimento do Mariel, projeto do governo cubano para captar investimento estrangeiro. A agenda de Obama na segunda-feira concluirá com um jantar de Estado, oferecido pelo ditador Raúl Castro, no Palácio da Revolução.
Dissidentes - Poucas horas antes da chegada do presidente Obama em Havana, dezenas de ativistas liderados pelas Damas de Branco que protestavam contra o governo comunista foram detidos por várias horas. Ao fim da marcha que as Damas de Branco costumam fazer aos domingos na capital cubana, e que dessa vez contou com a participação de outros opositores, grupos do governo encurralaram os manifestantes. Quase no mesmo momento a polícia apareceu. As Damas de Branco e os ativistas da dissidência foram levados à força em direção aos ônibus em meio a gritos de "gusanos" (vermes, em tradução literal, mas também uma designação para traidores em espanhol cubano) vindos de apoiadores do governo.
Fonte (MSN)

Nenhum comentário:

Postar um comentário