terça-feira, 15 de março de 2016

Cabo será a primeira cidade do estado a armar Guarda Municipal

Cem homens fizeram teste psicotécnico,além de aulas práticas e teóricas.
Município espera por aval da Polícia Federal para reforçar a segurança.


Guardas municipais do Cabo de Santo Agostinho tiveram aula em estande de turos para poder usar arma. (Foto: Divulgação)

O Cabo de Santo Agostinho, no Grande Recife, será a primeira cidade pernambucana a armar os guardas municipais. Cumprindo normas previstas na Lei 13.022, de 8 de agosto de 2014, o município acaba de encerrar o processo de treinamento de 100 dos 300 homens do efetivo. Aguarda, agora, a certificação e a expedição dos portes pela Polícia Federal.

A expectativa da prefeitura é lançar, até o fim do próximo mês, a Patrulha da Cidade, reforçando os policiamentos preventivo e ostensivo, numa tentativa de amenizar os altos índices de violência. O município sofre com o desmonte do complexo portuário e industrial de Suape, deflagrado pela crise econômica. Atingiu a casa de 80 assassinatos por 100 mil habitantes, segundo o secretário de Defesa Social do Cabo, Luís Pereira.

Isso representa mais do o dobro da taxa registrada no Recife (38,1/por 100 mil habitantes) e bem maior do que a média nacional (25.8/ por 200 mil habitantes). Os dados são do Mapa da Violência de 2015. Para poder pleitear a criação de uma guarda armada, a cidade vem passando por um longo período de adequação aos pré-requisitos da Polícia Federal.

O primeiro passo foi realizar treinamento psicotécnico. Em seguida, promoveu aulas teóricas. E, por fim, deu início à pratica no estande de tiros. “Nosso guardas efetuaram 160 disparos no curso. É muito mais do que muitos policiais militares”, ressaltou o secretário.

Além das aulas, o município precisa apresentar um conjunto de garantias. Deve, por exemplo, instituir sede própria e dotada de espaço para armazenamento de arsenal.
Um dos itens mais importantes é a criação de uma corregedoria para atuar em casos de desmandos ou excessos cometidos pelos profissionais.

“Em Pernambuco, poucas cidades apresentaram a abertura do processo de armar as guardas. Umas cinco. O Cabo está mais adiantado e espera, agora, o aval da Polícia Federal”, observou o assessor de Comunicação da PF, Giovani Santoro.

Enquanto aguarda a liberação da Superintendência da Polícia Federal, o Cabo finaliza o projeto de reforço ao trabalho da Polícia Militar. A ideia da Secretaria Municipal de Defesa Social é colocar nas ruas quatro patrulhas, com quatro homens armados, por dia, em turnos de 12 horas. Todos terão direito a porte para pistola ponto 380.

Serão empregados de 40 a 50 homens nesse serviço. Os demais ficarão responsáveis pelo trabalho de ordenamento municipal e cobertura do patrimônio. “Já compramos quatro caminhonetes e as armas. Vamos começar as ações e, depois, pretendemos tirar os portes para todo o efetivo”, informou o secretário Luís Pereira.

Quando os guardas municipais estiverem portando armas, a prefeitura acredita que ficará mais fácil ampliar o policiamento em áreas fundamentais, como as escolas e os postos de saúde. “Temos um projeto de colocar vigilância eletrônica nas escolas, mas até lá, contaremos com o pessoal armado para assegurar a segurança dos alunos e funcionários”, disse Pereira.

Aulas
O curso de capacitação dos guardas municipais do Cabo teve 100 horas/aulas. As 35 horas/aula teóricas foram ministradas em dezembro de 2015. As atividades nos estandes de tiro ocorreram no mês passado. As atividades foram realizadas por meio de uma parceria entre a Associação dos Guardas Municipais e o Sindicato dos Guardas Municipais, com o apoio da Prefeitura.

Nenhum comentário:

Postar um comentário