segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Fim de ano dramático para trabalhadores em Jaboatão. Eles são demitidos recebendo apenas o salário do mês

Elias Gomes esclarece Blog do Marlus Costa
Em meio a tanta dificuldade que a população passa devido a crise que afeta o país e o alto índice de desemprego, um fato que está acontecendo em Jaboatão, tem chamado a nossa atenção.
Fomos procurados por vários trabalhadores da saúde, entre eles enfermeiros, técnicos de enfermagem, dentistas, médicos, entre outros, que estão sendo demitidos da prefeitura de Jaboatão, com direito apenas ao salário do mês.
Há relatos de profissionais que trabalharam no município por 15, 18, 20 anos exercendo determinadas funções em forma de contrato. Segundo informações, o direito desses trabalhadores está assegurado pelo regime CLT, diferentemente dos cargos comissionados.
Por recomendação do tribunal de contas, o prefeito de Jaboatão dos Guararapes, Elias Gomes, está substituindo todos os contratados, pelos concursados aprovados no último concurso realizado este ano no município. Até aí tudo bem, porém o grande problema é que antes de começar as demissões em massa, a prefeitura de Jaboatão publicou um decreto nº 155/2015, que suspende todos os pagamentos referente as rescisões trabalhistas, bem como do terço de férias, para todos os cargos, sejam de natureza comissionados, efetivos ou contratados temporariamente. Está no diário oficial do município do dia 08 de outubro de 2015.
Pessoas que prestaram serviço para a população de Jaboatão durante muitos anos, estão sendo demitidos neste fim de ano, tendo apenas o salário mês como remuneração e nada mais. Pagamento das férias, décimo terceiro e rescisões estão suspensos e sem previsão de pagamento.
Eles não tiveram nenhum respeito e reconhecimento conosco Marlus, recebemos uma carta xerocada sem nenhuma identificação, informando que não fazemos mais parte do quadro da prefeitura, uma falta de humanidade total e reconhecimento conosco que por tantos anos dedicamos as nossas vidas cuidando da vida dos moradores da nossa cidade“, contou uma enfermeira que pediu para não se identificar.
Os trabalhadores estão desesperados e revoltados com a atitude do prefeito, pois, dos vários depoimentos que recebemos, muitos desses profissionais estão com empréstimo consignado, descontado diretamente do salário, e agora ficarão no prejuízo, pois sem as verbas indenizatórias, não há nem como pagar a dívida.
Todos nós sabemos que o período de final de ano, é uma época muito esperada por todos. Momento de confraternização, reflexão e altos gastos com as festividades, além da preparação para os gastos escolares com o ano novo que chega.
Preocupados e solidários com a situação, procuramos uma resposta da prefeitura de Jaboatão. Confiram a resposta na íntegra.
A Prefeitura do Jaboatão dos Guararapes informa que todos os direitos estão garantidos. Por conta do decreto municipal que proíbe pagamento de férias e rescisão, os direitos serão pagos no próximo ano, logo após a vigência do decreto.
O que não entendemos é como o município nessas condições de “CRISE”, diz que tem dinheiro para construir 15 escolas municipais, 13 quadras poliesportivas. Anuncia que vai reformar o mercado público de cavaleiro gastando cerca de R$ 6,5 milhões, operação verão que custa mais de R$ 20 milhões dos cofres públicos, entre outros anúncios que a gestão vem fazendo, mas os direitos dos trabalhadores, que são prioridades, não estão sendo respeitados pela gestão municipal.
Se coloquem no lugar dessas pessoas, é realmente lamentável, mais um ponto negativo para a prefeitura de Jaboatão.

Fonte (Blog do Marlus Costa)

Nenhum comentário:

Postar um comentário