terça-feira, 2 de junho de 2015

Pedaladas economizam tempo

Iniciativa orienta pessoas que estão dispostas a circular pelo Recife com segurança e tranquilidade

Leo Motta/Folha de Pernambuco
Karina Souza, 24 anos, perdia cerca de duas horas no trânsito. Atualmente, faz o mesmo percurso em 30 minutos
O prazer por pedalar vem transformando realidades de recifenses que procuram qualidade de vida e economia de tempo na correria diária. Esse é o caso da assessora de Imprensa Karina Souza, 24 anos, que encontrou no projeto Vá de Bike ao Trabalho a solução para circular com mais prazer, segurança e tranquilidade pelas ruas da Cidade. “Para me deslocar entre o bairro da Encruzilhada e a Várzea eu perdia cerca de duas horas no trânsito. Agora, consigo chegar ao trabalho em 30 minutos. É maravilhoso”, contou. Os Ameciclistas, como são chamados os voluntários que acompanham e orientam pessoas que estão dispostas a descobrir como circular no Recife com segurança e tranquilidade, estão sempre prontos para atender a solicitações. “Me inscrevi sem muitas esperanças de ter retorno, após duas horas descobri que estavam analisando o meu cadastro. Fiquei muito animada”, completou.
O projeto que funciona desde setembro de 2013, conta com 13 voluntários e atende a cerca de 10 ciclistas por mês. A ideia não surgiu por acaso. Após ver uma ação produzida pela agência d e publicidade, que consistia em estimular seus funcionários a irem de bicicleta ao trabalho, o analista de software Rudney Barbosa, de 32 anos, pensou: "por que não transformar essa ideia em algo maior?".
“Fiquei fascinado pela iniciativa, a partir daí criei um formulário online e comecei a convidar algumas pessoas que pudessem guiar os ciclistas, organizei a comunicação e começamos a funcionar com apoio da Ameciclo”, explicou. A Associação Metropolitana de Ciclistas do Grande Recife tem como principais eixos de ação o fomento ao uso de bicicletas e a democratização das vias públicas. Atua há três anos por meio de atividades educacionais, desportivas e culturais em que a prioridade seja a conscientização do caráter público do tecido urbano e a necessidade de humanizá-lo por meio da convivência pacífica entre as diferentes modalidades de transporte. Quando idealizou o projeto Vá de Bike ao Trabalho, Rudney fazia parte da associação havia cerca de um ano. Hoje é coordenador da área de desportos e eventos.
Para solicitar o acompanhamento de um Ameciclista basta preencher um formulário disponível no site do projeto e aguardar contato dos ameciclistas. Os voluntários são pessoas que já utilizam a bicicleta em seus deslocamentos diários e estão dispostas a conduzir aprendizes até que eles se sintam seguros em circular sozinhos. 
Rotas recifenses
Pesquisa realizada pelo portal Mobilize, mostra que mesmo nos locais mais bem colocados do ranking das cidades brasileiras que têm a melhor proporção de ciclofaixas e ciclovias em comparação a extensão das vias destinadas ao transporte motorizado, é possível ver uma grande desproporção entre os investimentos realizados para a melhoria do fluxo de carros e para a melhoria dos transportes coletivos e sustentáveis. Atualmente há 33 quilômetros de malha cicloviária em Pernambuco segundo a Companhia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife CCTU, entre os três tipos de rede ciclável que são: ciclovia, ciclofaixa e ciclorrota.
Saiba mais
Novas rotas 
- Estão sendo concluídos os estudos dos projetos que prometem implantar novas rotas que se conectem com as existentes priorizando ruas que incluam parques, praças e mercados públicos, garantindo os deslocamentos por esses locais. As próximas rotas a serem implantadas são a Inácio Monteiro, no Cordeiro; Antônio Curado, no Engenho do Meio e a rota de Jardim São Paulo, que já estão com os projetos executivos em fase de conclusão. A previsão é para o segundo semestre deste ano.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário