segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Diogo Moraes bate Lula Cabral, candidato oficial do governo Paulo Câmara

10325179_1090574820968746_5587088131542268046_n
O deputado socialista Diogo Moraes bateu o também socialista Lula Cabral, na disputa pela primeira secretaria da Assembleia Legislativa do Estado (Alepe).
Diogo Moraes teve 32 votos contra 15 de Lula Cabral, que se apresentava como o candidato oficial do Palácio do Campo das Princesas na disputa. Houve ainda um voto em branco e outro nulo.
Quando o jovem deputado, da região de Caruaru, atingiu o número mínimo de votos para vencer a contenta, 25, o líder do governo Waldemar Borges  e o próprio Lula Cabral levantaram e deixaram o plenário.
A vitória de Diogo Moraes representa uma derrota do governo Paulo Câmara e não deixa de ser uma reafirmação da força de Guilherme Uchoa, uma vez que os votos de Moraes foram sempre apresentados casados com o presidente da Alepe. Os dois vinham fazendo campanha juntos há 90 dias, mas a articulação política do governo tentou impor o nome do ex-prefeito do Cabo. Conforme revelou o Blog de Jamildo,nesta semana, com o aval da Casa Civil e em parceria com o governo, o prefeito do Recife, Geraldo Júlio, defendeu o nome do ex-prefeito do Cabo para o cargo, como uma recompensa pela ajuda na estrutura que ele deu a Paulo Câmara, nas eleições do ano passado.
A votação teve início às 21h15, sendo feita de forma manual, com a contagem voto a voto.
Apesar de Lula Cabral ter dito, antes da votação, que iria se eleger, por ser o candidato do governo do Estado, desde o dia anterior, entre os deputados, havia a expectativa de que Diogo Moraes ter mais votos do que até mesmo Guilherme Uchoa, comparativamente. O voto no jovem interiorano seria uma espécie de golpe em favor da independência do Legislativo, diante da imposição do Palácio do Campo das Princesas.
Neste sábado, o Blog de Jamildo revelou que a Casa Civil chegou a chamar deputados e cobrar fidelidade, votando em Lula Cabral, sob ameaça de retaliações.
Há cerca de duas semanas, o próprio Diogo Moraes foi chamado na Casa Civil para ser avisado de que não seria candidato pela legenda, sendo solicitado a abandonar a disputa em favor de Lula Cabral. O deputado Diogo Moraes resistiu e disse que iria manter a candidatura.
No plano pessoal, além da questão da imposição do nome pelo Executivo, Lula Cabral era visto pelos colegas como arrogante, em contraposição ao jovem que agiu de forma humilde ao construir sua candidatura há mais de três meses, pedindo votos sem usar o nome do governo.
Transparência na Casa
Alinhado com o presidente reeleito, Diogo Moraes deve aproveitar um recado dado pelo experiente parlamentar neste dia de votação. Ao ser cobrado pela repórter do JC, Carolina Oliveira, sobre transparência na Alepe, Guilherme Uchoa deu uma resposta objetiva, ao afirmar que o portal da Transparência não havia saído até agora porque era problema do primeiro secretário, não dele, presidente.
De modo indireto, acabou afirmando que o instrumento de fiscalização não saiu porque o primeiro secretário anterior, João Fernando Coutinho, não se esforçou para tanto. Assim, Diogo Moraes, que também teve votos da oposição, está na obrigação de instalar o portal que inexiste no mais breve tempo possível, de modo a possibilitar o acompanhamento das ações dos deputados por meio da Lei de Acesso às Informações e os dados da Lei de Responsabilidade Fiscal também.
Nesta segunda-feira, o governador Paulo Câmara visita a Assembleia Legislativa de Pernambuco, às 15h, para a abertura da primeira sessão legislativa do ano.

Nenhum comentário:

Postar um comentário