quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

Homem moderno perdeu 20% da densidade óssea por causa da agricultura

Da AFP
Os cientistas explicam o fenômeno da perda de massa óssea com o sedentarismo / Foto: divulgação
Os cientistas explicam o fenômeno da perda de massa óssea com o sedentarismoFoto: divulgação
O homem moderno perdeu 20% da densidade óssea nas extremidades inferiores desde o aparecimento da agricultura, há 12 mil anos, afirmaram cientistas que explicam este fenômeno pelo sedentarismo motivado por este estilo de vida.

Até então e durante milhões de anos antes, os humanos e seus antepassados viviam da caça e da coleta, atividades que exigiam maior atividade física.

Os caçadores-coletores de 7.000 anos atrás tinham ossos e articulações (quadris, joelhos e tornozelos) tão sólidos quanto os dos neandertais, um primo desaparecido há 28.000 anos, e inclusive como os do chimpanzés, um ancestral distante.

A pesquisa foi publicada na edição de segunda-feira dos Anais da Academia Americana de Ciências (PNAS). Em comparação, os "agricultores" que viviam nas mesmas regiões há 6.000 anos têm ossos significativamente menos densos e mais frágeis.

Nenhum comentário:

Postar um comentário