segunda-feira, 8 de julho de 2013

Joaquim Barbosa recebeu R$ 580 mil em benefícios atrasados

Assessoria do STF divulgou nota dizendo que quantia recebida não é ilegal

Publicação: 07/07/2013 20:54 Atualização: 07/07/2013 21:29

Joaquim Barbosa, presidente do Supremo Tribunal Federal, recebeu R$ 414 mil do Ministério Público Federal por conta de controverso bônus salarial, como forma de compensação ao auxílio-moradia concedido a deputados e senadores. Além dele, outros 603 membros do Ministério Público Federal teriam recebido valores semelhantes. A prática é legal, porém polêmica, ainda mais quando relativa a um crítico fervoroso dos gastos com dinheiro público, caso de Joaquim Barbosa.

Somado a esse valor, o presidente do STF recebeu, ainda, cerca de R$ 226,8 mil, considerando a moeda de hoje, em 2007. A quantia foi resultado da conversão em dinheiro de 11 meses de licenças-prêmio não gozadas por ele. Ao todo, Barbosa embolsou R$ 580 mil. Com os devidos reajustes, esse valor sobe para R$ 704,5 mil.

Em tempo, a assessoria do STF divulgou nota afirmando que, após sua posse na corte, Barbosa "viu-se impossibilitado" de tirar licenças a que tinha direito e "requereu, com êxito, ao procurador-geral da República" o pagamento delas, o que teria sido feito também "por antigos membros do MPF que ingressaram na magistratura". No que diz respeito ao bônus salarial compensatório do auxílio-moradia, o STF esclareceu que "o presidente esclarece que não recebeu nada ilegal, e nada além do que foi recebido por todos os membros do Judiciário do país, do Ministério Público e do Tribunal de Contas da União".

Nenhum comentário:

Postar um comentário