segunda-feira, 15 de julho de 2013

Diario Político

Diario Político
 
Cenário sombrio
A política nacional atrai as atenções do país mas nem por isso se deixa de pensar na sucessão estadual. E aliados do governador Eduardo Campos (PSB) começam a traçar um cenário sombrio sobre a performance do prefeito Geraldo Julio (PSB),
cujo desempenho terá um peso importante não
só na eleição mas também na escolha do

candidato da Frente Popular para o governo do estado. Grupos governistas avaliam que, até agora, Geraldo Julio não conseguiu se desvencilhar da condição de secretário do governo Eduardo e, por isso, ainda não compreendeu que precisa ser uma liderança política. A Prefeitura do Recife exige essa postura. Não basta ser um bom técnico.
Junte-se a isso o fato de que a sua gestão é pálida, em que pesem seus esforços, o que poderá se tornar um problema caso não haja um redirecionamento. Diante disso, a questão que se coloca é a seguinte: Geraldo Julio será um bom eleitor para Eduardo em 2014? Por outro lado, há um entendimento entre setores da base aliada que, embora venha cumprindo metas e objetivos estabelecidos, o segundo governo de Eduardo – como sempre acontece nos casos de reeleição – vem se distanciando do primeiro mandato, até mesmo pela sua intensa movimentação nacional, o que favoreceria uma renovação. Esses dois pontos têm sido motivo de muitas conversas e levam, evidentemente, ao que mais interessa aos possíveis candidatos ao governo do estado fora do âmbito socialista: se Geraldo Julio não deslanchar, o governador não terá como justificar a escolha de

um técnico para o governo do estado, repetindo
fórmula usada na eleiçao de 2012 no Recife.

O prefeito, claro, ainda está no prazo de carência mas, no sétimo mês de gestão, ele já deveria estar sendo melhor avaliado por lideranças partidárias
que ajudaram sua eleição.

Financiamento
da Saúde

O senador Humberto Costa (PT) vai apresentar na primeira semana de agosto projeto de lei para garantir mais recursos para o SUS no orçamento da União. O parlamentar é relator da comissão especial que trata do Financiamento da Saúde no Senado.

No tapete verde

Imagem da presidente na Câmara dos Deputados : “Dilma anda tão em baixa que corre o risco de ser vaiada até por beneficiários do Bolsa Família e não tem Lula que salve esse governo”.

E os outros?

Com o argumento de que o Recife responde por apenas 38% do transporte metropolitano, a deputada Terezinha Nunes (PSDB) diz estranhar que no plano de mobilidade, entregue ao governo federal na semana passada pelo governador Eduardo Campos e pelo prefeito Geraldo Julio, outros municípios metropolitanos não tenham sido contemplados com obras. Apenas a capital foi priorizada – diz a deputada – como se o transporte público também não se deslocasse pelos demais municípios.

Crueldade

“Quem conversa com Renildo Calheiros (PCdoB) acredita que Olinda é Londres. Mas a realidade é outra”. A observação é de um aliado que encontrou-se com o prefeito há alguns diass.

Incertezas

O que se diz: Eduardo Campos teria sinalizado para os deputados federais Roberto Teixeira (PP) e Cadoca (sem partido) e para o ex-deputado Edgar Moury Fernandes (PMDB) que poderia ajudá-los em 2014. Para isso, todos teriam de se filiar ao PSB, cujo prazo é 5 de outubro. Agora, o  que se sabe é que o governador já teria escolhido os herdeiros do espólio eleitoral da ex-deputada federal Ana Arraes: Tadeu Alencar, secretário da Casa Civil. João Fernando Coutinho, deputado estadual, e Felipe Carreras, secretário de Turismo do Recife.

Nenhum comentário:

Postar um comentário