quarta-feira, 26 de junho de 2013

Transporte público é mote de novo protesto nesta quarta no Recife

Foto: Arnaldo Carvalho/JC Imagem
Do NE10
Assim como a redução de R$ 0,10 no valor da passagem de ônibus na Região Metropolitana do Recife, o anúncio de investimentos em mobilidade urbana feito pela Dilma Rousseff nessa segunda-feira (24) não desmotivou os protestos pela melhoria do transporte urbano. Acompanhando as manifestações nacionais, estudantes e entidades ligadas à Frente de Luta pelo Transporte Público Recife realizam nesta quarta-feira (26) mais um protesto na capital pernambucana.
Chamado nas redes sociais de "2º Ato Nacional", o protesto já conta com mais de 7 mil participações confirmadas. A concentração será às 14h na Praça do Derby, no Recife. A saída, com roteiro ainda não divulgado, está previsto para as 16h.
"A redução do valor das tarifas era uma obrigação do Governo, já que houve desoneração do PIS/Cofins justamente para isso. Mas é preciso lutar por melhorias efetivas no transporte público e por mais transparência nas ações do Grande Recife Consórcio de Transportes", disse Pedro Josephi, membro da Frente de Luta pelo Transporte Público Recife e do Diretório Acadêmico da Unicap (DCE/Unicap).
Segundo Pedro, as principais reivindicações do protesto desta quarta-feira são o passe livre para estudantes e trabalhadores desempregados sem oneração para os outros usuários; melhores condições de trabalho para os rodoviários, seguindo as recomendações do Ministério Público do Trabalho; aquisição de novos ônibus e aumento da frota; transparência e agilidade nas licitações do setor e a meia passagem intermunicipal para estudante.
Sobre o pronunciamento da presidente Dilma Rousseff, que anunciou a criação de um Conselho Nacional de Mobilidade Urbana e o investimento de R$ 50 bilhões no setor, Pedro Josephi informou que as propostas estão sendo discutidas pelo movimento, mas que a população precisa continuar unida e mobilizada para cobrar as mudanças.
Outras pautas nacionais, como os protestos contra a PEC-37 e pedidos de melhorias para a saúde e educação, também serão lembradas pelos manifestantes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário