segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Pesquisa Ibope no Cabo aponta Lula Cabral com 52% e Betinho Gomes com 28%


Pesquisa divulgada pelo Ibope sobre a disputa municipal na cidade do Cabo de Santo Agostinho, no Grande Recife, mostram o candidato Lula Cabral (PSB), com uma larga vantagem sobre o segundo colocado o candidato Betinho Gomes (PSDB). De acordo com o Ibope, se as eleições fossem hoje, o socialista teria 52% dos votos contra 28% do tucano, enquanto Gleydson Goes, do Psol, ficaria com apenas 1%. Brancos e nulos somam 18% e 11% não souberam ou não quiseram responder.

Quando apenas os votos válidos são considerados, eliminando brancos e nulos, o Ibope constatou que a hegemonia de Lula é ainda maior: ele teria 62% dos votos contra 33% de Betinho e 5% de Gleydson. Na espontânea, quando o entrevistado é forçado a lembrar do nome do candidato, Lula tem o dobro das intenções de voto: 46% a 23%.

O candidato do PSB aparece melhor situado entre os entrevistados que têm renda familiar superior a dois salários mínimos, alcançando 55% dos votos na pesquisa espontânea e 59% na estimulada. Nesta última, ele aparece como o favorito de 65% dos eleitores jovens (entre 16 e 24 anos). Outro ponto positivo registrado para Lula Cabral é o fato de ser o candidato com menor rejeição aferida entre os eleitores ouvidos.

Enquanto 44% das pessoas declararam que não votariam de jeito nenhum tanto em Betinho Gomes como em Gleydson Goes, o índice de Lula ficou em 30%. Essa reprovação em relação a Betinho é ainda maior entre os entrevistados com faixa etária superior a 55 anos, chegando em 52%.

O Ibope perguntou também a opinião dos cabenses sobre quem será o próximo prefeito, independentemente da intenção de voto de cada entrevistado. Também neste item, Lula Cabral ganhou disparado, com 71% das respostas, contra 18% obtidos por Betinho Gomes e 0% para Gleydson Goes. Os outros 11% não souberam ou não quiseram responder.

Dos entrevistados, 54% disseram ter pouco ou nenhum interesse pelas eleições, e a maioria criticou a gestão do prefeito Vado da Farmácia (sem partido). Entre os entrevistados, 65% disseram que o Cabo está “parado” e 23%, “em retrocesso”, enquanto apenas 10% consideraram que a cidade está se desenvolvendo.

A pesquisa foi realizada entre os dias 14 e 16 de setembro, com 406 entrevistas tendo uma margem de erro máxima estimada de 5 pontos percentuais para mais ou para menos sobre os resultados encontrados no total da mostra.Seu registro no Tribunal Regional Eleitoral é o de número PE­08169/2016.

terça-feira, 6 de setembro de 2016

Lula Cabral é favorito na disputa pelo Cabo

Pesquisa do Ipespe, em parceria com a Folha de Pernambuco, mostra socialista com 51%. Ele é seguido pelo tucano Betinho Gomes, que tem 29% da preferência do eleitorado


A menos de um mês para a eleição, o deputado estadual e ex-prefeito Lula Cabral (PSB) lidera a corrida eleitoral no Cabo de Santo Agostinho, na Região Metropolitana do Recife, com 51% das intenções de votos, de acordo com a primeira pesquisa realizada pelo Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Economicas (Ipespe), em parceira com a Folha de Pernambuco. O segundo colocado, deputado federal Betinho Gomes (PSDB), tem 29%, enquanto o professor Gleydson Goes (PSOL) aparece em terceiro lugar, com 1%. A pesquisa, que tem margem de erro de cinco pontos percentuais, mostra que 12% da população não votaria em nenhum candidato; o mesmo percentual dos que votariam em branco ou nulo, e 7% não souberam ou não responderam. No Cabo, não haverá segundo turno.
Na análise espontânea, quando os nomes dos candidatos não são apresentados aos entrevistados, o quadro é parecido: Lula Cabral aparece como o mais citado, por 46% dos entrevistados, enquanto Betinho Gomes soma 24%. Goes mantém o mesmo 1%. Nesta modalidade, 11% da população não votariam em nenhum candidato, e idêntico número votaria em branco ou nulo. Entre os eleitores, 18% não souberam dizer em quem votar ou não quiseram responder.
Conhecidos
Tanto o tucano quanto o socialista possuem baixos índices de desconhecimento, apenas 2% e 1%, respectivamente. Já o psolista é des­conhecido por 70% da população cabense. Cabral já foi prefeito do Cabo entre 2004 e 2012. Betinho Gomes, por sua vez, é filho do ex-prefeito do Cabo e atual prefeito de Jaboatão dos Guararapes, Elias Gomes (PSBD). Os dois já disputaram o pleito de 2008, com vitória do socialista, que, segundo a pesquisa, desfruta de boa avaliação quanto a sua administração à frente à Prefeitura do Cabo: 58% dos entrevistados avaliaram a gestão de Cabral como ótima ou boa, 28% co­mo regular e 11% como ruim ou péssima. Três por cento da população não soube ou não respondeu.
Rejeição
Entre os candidatos apresentados, Gomes é o que apresenta maior índice de rejeição, com 44%. Gleydson vem em segundo, com 39%, e Cabral tem 32%. Ao deixar a Prefeitura do Cabo, Cabral ajudou a eleger o sucessor, o atual prefeito Vado da Farmácia (Sem partido), contra Betinho Gomes. Entretanto, Cabral e Vado romperam nos primeiros meses de administração do atual gestor. 
Gestão Vado
    O prefeito Vado da Farmácia, que não disputará a reeleição, é avaliado como ruim ou péssimo por 76% da população, enquanto 17% consideram a gestão dele como regular e apenas 5% como ótima ou boa. Um por cento não soube ou não respondeu. Diante desta questão, os dados mostram um desejo de mudança dos cabenses: 68% dos entrevistados preferem votar em quem “mu­de totalmente a forma de administrar” o município; 27% optam por um candidato “que mude um pouco a forma de administrar, dando continuidade a algumas coisas e mudando outras” e apenas 2% querem que o futuro prefeito “dê continuidade à forma como o Cabo vem sendo administrado”.
    A pesquisa foi realizada entre os dias 2 e 3 de setembro de 2016, com 400 entrevistados, e foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE/PE)sob o protocolo PE-06243/2016, com um intervalo de confiança de 95,45%.


    terça-feira, 16 de agosto de 2016

    FOI DADA A LARGADA PARA A CAMPANHA ELEITORAL


    Está liberada, a partir desta terça-feira, a propaganda eleitoral dos candidatos que estarão concorrendo nas eleições municipais de outubro. A propaganda acaba no dia 1º de Outubro, véspera das eleições, segundo o calendário eleitoral.
    Porém, é necessário que os candidatos e partidos prestem muita atenção às regras da campanha, já que a minirreforma eleitoral de 2015 introduziu uma série de restrições aos candidatos a prefeito, vice-prefeito ou vereador. O descumprimento das regras podem gerar de multa a detenção para os infratores.
    A Resolução TSE nº 23.457/2015 é que regulamenta as regras da campanha eleitoral, do horário gratuito no rádio e na Televisão, e versa sobre as condutas ilícitas durante o período de propaganda.
    Preparamos um resumo sobre o que é ou não proibido na campanha:
    O que é permitido?
    Material Gráfico, Caminhada e Carreata
    Está liberada a distribuição de material gráfico, caminhada, carreatas, passatas e carros de som que transitem pela cidade divulgando jingles e mensagens dos candidatos. No caso dos carros de som, deve-se observar o limite legal de até 80 decibéis de intensidade sonora (que devem ser medidos a sete metros do alto-falante) e os limites de horário estabelecidos (de 08 às 22h).
    O material gráfico deve contar o CNPJ do candidato, mencionar a legenda partidária e o CNPJ de onde o material foi impresso, bem como a tiragem do material distribuído.
    Comícios, Showmícios, brindes e Outdoors
    É proibido o uso de equipamentos de som a menos de 200 metros das sedes dos Poderes Executivo e Legislativo da União, dos Estados e dos municípios, hospitais, casas de saúde, escolas, bibliotecas públicas, entre outras instituições.
    Os candidatos poderão realizar comícios e utilizar aparelhagem de som fixa, das 08h às 24h, podendo esse horário ser prorrogado em até duas horas no comício de encerramento da campanha. Showmícios estão proibidos, de acordo com a Lei Eleitoral nº 9.504/97. Mesma a apresentação de artistas para animar comícios eleitorais está proibida, mesmo sem remuneração.
    A lei também proíbe ao candidato ou comitê a distribuição de brindes, camisetas, chaveiros, bonés, canetas, cestas básicas ou qualquer outro bem ou material que possa proporcionar vantagem ao eleitor. Caso seja flagrado, o infrator irá responder por compra de voto e uso de propaganda vedada e, dependendo da conduta, por abuso de poder.
    Outdoors também estão proibidos, inclusive os eletrônicos. Nesse caso, além dos candidatos, as empresas, partidos e coligações também sofrerão as punições, que vão de multa no valor de R$ 5 mil a R$ 15 mil, e retirada imediata da propaganda irregular. 
    Propaganda em Bens públicos e particulares
    É completamente proibida qualquer tipo de propaganda, incluindo pichação, inscrição a tinta, colocação de placas, faixas, estandartes, cavaletes, bonecos e peças afins em bens em que o uso dependa de cessão ou permissão do poder público, ou que sejam de posse do mesmo.
    Também é proibida a propaganda em bens de uso comum, como postes de iluminação pública, sinalização de tráfego, viadutos, passarelas, pontes, paradas de Ônibus e outros equipamentos, além de árvores e jardins públicos, cercas e tapumes de obras.
    Em propriedades particulares, é permitida a propaganda sem necessidade de licença municipal ou autorização da Justiça Eleitoral, desde que seja em adesivo ou papel e não supere a meio metro quadrado de área. Também é proibida a justaposição de adesivo ou papel que exceda meio metro quadrado, configurando a propaganda irregular. Ressaltamos que a lei determina que esse tipo de propaganda deve ser espontânea e gratuita. Qualquer pagamento pelo espaço é proibido.
    Propaganda na Internet
    É permitida através de sites do candidato, do partido ou coligação, por meio de mensagem eletrônica para endereços cadastrados gratuitamente pelo canditato, partido ou coligação, por meio de blogs, redes sociais, sites de mensagens instantâneas e assemelhados, cujo conteúdo seja editado ou gerado por candidatos, partidos, coligações ou qualquer pessoa natural.
    Não é permitida veiculação de propaganda eleitoral em sites de pessoas jurídicas, ainda que gratuita, ou em sites oficiais ou hospedados por órgãos ou entidades da administração pública direta ou indireta.
    Não é permitida propaganda por Telemarketing.
    Na Imprensa escrita
    Até a antevéspera das eleições, pode haver a divulgação paga, na imprensa escrita, e a reprodução na internet do jornal impresso, de até dez anúncios de propaganda eleitoral, por veículo, em datas diversas, para cada candidato, no espaço máximo, por edição, de um oitavo de página de jornal padrão e de um quarto de página de revista ou tabloide. O anúncio deverá trazer, de maneira visível, o valor pago pela inserção. 
    No rádio e na TV 
    Desde 30 de junho, as emissoras de rádio e televisão estão proibidas de transmitir programa apresentado ou comentado por pré-candidato, sob pena, no caso de sua escolha na convenção partidária, de aplicação de multa e de cancelamento do registro da candidatura de quem tenha se beneficiado. 
    Desde 6 de agosto, as emissoras estão impedidas, em sua programação normal e noticiário, de veicular propaganda política e dar tratamento privilegiado a candidato, partido ou coligação, entre outras restrições. 
    Propagandas não toleradas 
    A legislação proíbe propaganda de guerra, de processos violentos para subverter o regime, a ordem política e social, ou de preconceitos de raça ou de classes. Veda ainda o incitamento de atentado contra pessoa ou bens; caluniar, difamar ou injuriar qualquer pessoa, além de atingir órgãos ou entidades que exerçam autoridade pública; perturbe o sossego público; prejudique a higiene e a estética urbana, entre outras. 
    O próprio eleitor poderá comunicar à Justiça Eleitoral caso flagre alguma irregularidade nas campanhas eleitorais de quaisquer candidatos, entrando em contato direto no site do TRE/SC e do TSE.

    sexta-feira, 12 de agosto de 2016

    O Pitbull jaboatonense

    Com histórico de autoritarismo e viés arrogância, o prefeito de Jaboatão, Elias Gomes (PSDB), revelou, ontem, seu lado mais cruel: o da virulência. Não satisfeito com a filmagem de um morador durante visita a um bairro da periferia, partiu para cima do cidadão feito um Pitbull, arrancou das suas mãos o celular e por pouco não danifica o aparelho. As imagens da cena de cruel estado coronelismo tucano foram enviadas e postadas neste blog. O que está fazendo Elias a perder seu fair play? Quem adivinhar, ganha um chocolate.

    Fonte (Blog do Magno)

    Vídeo: Elias se altera e agride morador de Candeias

    O prefeito de Jaboatão dos Guararapes, Elias Gomes (PSDB), agrediu, na manhã de hoje, um morador da Rua Coronel Cleber de Andrade, em Candeias. Na ocasião, o prefeito visitava o andamento das obras na rua, que está sendo asfaltada e conversava com alguns moradores quando percebeu que estava sendo filmado.
    Adezio gravava imagens da ação de Elias, em seu celular e a distância, no momento em que foi atacado pelo prefeito. Mesmo sem oferecer nenhum risco ao tucano, que ficou bastante alterado, Adezio teve o celular apreendido, quebrado e foi agredido verbalmente por Elias. Confira as imagens.


    Fonte (Blog do Magno)

    sexta-feira, 5 de agosto de 2016

    TSE registra primeiros candidatos a prefeito em Pernambuco

    Quatro candidatos a prefeito e 158 concorrentes a vereador já foram registrados pela Justiça Eleitoral

    Da Editoria de Política


    Onde comprar ou beber cerveja artesanal pernambucana?



    quinta-feira, 21 de julho de 2016

    MULTA

    MULTA– Aos que insistirem com enquetes em sites e blogs sobre a corrida eleitoral, não autorizadas pela justiça eleitoral: a divulgação, que fere as regras previstas na legislação eleitoral, conforme minirreforma aprovada pelo Congresso, pode ser punida com o pagamento de multa, que varia de R$ 53 a R$ 106 mil.

    quarta-feira, 20 de julho de 2016

    AGORA É OFICIAL NO CABO: Vado descarta de vez sua candidatura a prefeito do Cabo de Santo Agostinho

    Agora é definitivo: o prefeito do Cabo de Santo Agostinho, Vado da Farmácia, não será mesmo candidato a reeleição, como ainda se cogitava nos bastidores da política. Ele anunciou sua decisão hoje (19), numa reunião com secretários e assessores mais próximos, quando conversou sobre o que pretende realizar nos últimos meses da sua gestão. Ele disse que não deverá fazer campanha para nenhum candidato a prefeito do Cabo, dedicando-se apenas a apoiar nomes que vão disputar vagas na Câmara Municipal de Vereadores.
     
    O PTB não pretende ter candidato a prefeito, A decisão do prefeito Vado de não concorrer à reeleição em 2016, falou em conversa com blog o Presidente municipal do PTB no Cabo de Santo Agostinho, Paulino Valério.
    Na reunião em seu gabinete, Vado informou aos secretários que trabalha para entregar a Prefeitura ao seu sucessor ou a sua sucessora com as finanças equilibradas, tudo em conformidade com a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). Apesar do difícil momento econômico nacional, o prefeito disse que não medirá esforços para concluir várias obras importantes e de grande interesse da população, como a coberta e reforma do Mercadão do Cabo (Centro), da Antiga Estrada de Suape e da Rua 17 e outras vias na Charneca, entre outras que estão em andamento.
    Por Marcos Almeida

    quinta-feira, 14 de julho de 2016

    Prefeito contraditório

     O prefeito de Jaboatão, Elias Gomes, novo presidente do PSDB, estimulou até onde foi possível o deputado federal Guilherme Coelho a sair candidato a prefeito de Petrolina. Sua postura não foi entendida por ninguém por um motivo muito simples: em seu município, onde deseja eleger o sucessor, ele deu a cabeça de chapa ao PSB e não ao PSDB. Aliás, os tucanos querem saber o que está por trás do acordo que levou Elias a sacrificar a legenda no segundo maior colégio eleitoral.

    Fonte (Blog do Magno)