banner de rolagem carrosel

sexta-feira, 18 de abril de 2014

Fica, João Braga!

fora braga
Por Jamildo Melo, editor do blog
Como era esperado, rasgaram a boca todos aqueles que apostaram que o prefeito Geraldo Júlio poderia ceder a gritaria de radicais disfarçados de movimentos sociais e afastar o secretário João Braga.
Em entrevista à Rádio Jornal na manhã desta quinta, o prefeito negou que haja qualquer possibilidade de o secretário de Mobilidade e Controle Urbano, João Braga, deixar a pasta.
“Não existe a menor chance [do secretário sair]. Ele está fazendo um belíssimo trabalho à frente da secretaria”, disse o prefeito, que afirmou que Braga tem sido respeitoso com os trabalhadores. Detalhe: por enquanto, nenhum ambulante foi removido do bairro do Recife.
Qual o busílis? O secretário João Braga entrou na linha de tiro de grupos de vendedores ambulantes, mas sabe-se que eles funcionam apenas como bucha de canhão contra o secretário.
De acordo com a PCR, desde janeiro de 2013, a direção do Sintraci foi recebida pela gestão municipal em 38 ocasiões, sendo as últimas vezes no sábado (5), sexta-feira (4) e quinta-feira (3), mostrando que o assunto tem sido tratado com diálogo.
A questão é anterior e passa pela atuação firme do secretário no comando do Conselho de Desenvolvimento Urbano (CDU), que aprova projetos urbanísticos na cidade.
Grupos ideológicos que tentam satanizar o processo de verticalização do Recife, usando-o como bandeira política, como não conseguiram dobrar o paraibano, agora querem detoná-lo. Como se fosse possível nomear e desnomear secretários no grito, antes de vencer eleições e sentar na cadeira de prefeito.
Na semana passada, em dois momentos, na quarta e na sexta-feira, uma entidade que se apresenta como Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Comércio Informal do Recife (SINTRACI),  realizando dois atos para reivindicar ao prefeito Geraldo Júlio a retirada do Secretario de Mobilidade e Controle Urbano, João Braga, da competência em gerir soluções ao comercio informal.
Em documento, reclamavam pelo direito de trabalhar dos comerciantes informais. Depois, a pauta da reivindicação, requerida pelos ditos “MOVIMENTOS SOCIAIS DO RECIFE“, avançou um pouco e reclamou da postura autoritária do Secretario de Mobilidade e Controle Urbano do Recife acusando-o de querer promover uma higienização social no Recife.
Duas mentiras deslavadas. Disciplinar não é impedir de trabalhar, é o papel que se espera do gestor municipal. Quem chamou ou está chamando algum ambulante de ladrão? Ninguém, só mais uma tentativa de jogar uns contra os outros.
A acusação de higienização é risível e demagógica. Trata-se de um velho estratagema usado por partidecos quando tentam promover a luta de classes, enganando incautos, tentando jogando ricos contra pobres, para colheita de frutos outros, sempre apresentando-se claro como os representantes do povo. A presença de eternos candidatos nestas manifestações só corroboram o objetivo eleitoreiro.
Qual a origem de tudo? Justamente a tentativa de disciplinamento. Há 15 dias, 12 ambulantes que ficavam em frente ao Hospital do Câncer foram realocados provisoriamente para a calçada no outro lado da via. Depois, serão abrigados em uma área dentro da unidade. Outros hospitais receberão a mesma ação, inclusive o Barão de Lucena.
No entanto, o negócio começou a ficar ridículo mesmo, patológico, quando, na luta dos ambulantes, incluiu-se oficialmente mais três temas, totalmente dissociados da questão trabalhista ou sindical.
Um deles era a não derrubada do Caiçara. Tudo a ver, não? Aqui, a Justiça do Estado já se pronunciou a respeito, julgando o mérito de forma favorável a demolição do imóvel, uma vez que nem o Estado e nem a Prefeitura do Recife reconheceram nada de histórico.
Outro era a conservação da Fábrica Tacaruna. Tudo a ver, não? Todos temos que nos unir para manter a fábrica inativa, pois é melhor para nossa memória afetiva da miséria. Gerar empregos, gerar renda, trazer investimentos internacionais, não pode… o capitalismo não pode vencer jamais.
Não era só, tinha ainda a manutenção do Cais Estelita, assunto já decidido pela Justiça e com projeto já encaminhado pela municipalidade, também via CDU.
“A prefeitura reconhece a importância e a relevância do trabalho informal para a cidade, mas também entende que esse trabalho precisa ser disciplinado visando o bem da população como um todo, inclusive dos próprios trabalhadores informais”, comentou o secretário, em nota. “No entanto, a área solicitada pelo Sintraci é inviável economicamente”.
“A Prefeitura do Recife está desapropriando seis imóveis na Boa Vista (Rua do Giriquiti, por trás do Shopping Boa Vista; Rua Sete de Setembro; dois na Rua da Saudade; Rua do Riachuelo e Rua da Penha) para abrigar os ambulantes que ocupam atualmente as calçadas do bairro, com capacidade para cerca de mil comerciantes, em um investimento de R$ 10 milhões”, informa a PCR.
Com o advento da internet, esses partidecos, que viviam patrulhando e constrangendo o pensamento livres das pessoas, nas universidades federais, descobriram que poderiam tentar impor sua visão radical de mundo também para o mundo exterior. Só que não. Estes playboys, por aqui, só tem quebrado a cara.
A atitude do prefeito Geraldo Júlio não me surpreende. Eu lembro aqui de um episódio dos primeiros dias de sua gestão no Recife. Uma destas cavalarias do embuste veio para cima, como era de se esperar, tentando impor seus delitos urbanos. O socialista recusou a camisa de força que tentavam lhe impor.
“Quem esses grupos representam?”, respondeu, em uma rodinha de jornalistas, quando confrontado pelos miquinhos amestrados, assanhados em cumprir pautas dos “movimentos sociais”, soberanos e legítimos donos da voz do povo e ninguém mais.  Calou a todos. Pensei. Caramba, não temos mais um idiota no comando da administração, desses fantoches covardes que se deixam levar pela pressão demagógica.
Por fim,. gostaria de dizer que João Braga é um homem sério e não merece estar passando por este bullying. O Blog de Jamildo presta assim sua solidariedade. Sei o que é ser sério e ser atacado por isto, injustamente, todos os dias.

Irritados e indecisos empatam com Dilma: 37%

Josias de Souza (Blog)
 Nelson Rodrigues escreveu que “a multidão tem algo de fluvial no seu lerdo escoamento.” As últimas pesquisas eleitorais revelam: 1) a multidão que compõe o eleitorado brasileiro escoa rumo à mudança. 2) por ora, Aécio Neves e Eduardo Campos não ganham o prestígio que Dilma Rousseff perde.
Pois bem. O Ibope acaba de tirar um novo retrato da multidão. Exibe uma cena muito parecida com a de outras fotos: Dilma cai, mas seus antagonistas ainda não ameaçam sua reeleição. Nesse contexto, o dado mais importante não é o pedaço da multidão de cabeça feita, mas o naco do eleitorado que ainda não definiu em quem irá votar.
Somando-se os 13% que dizem não saber em quem votar aos 24% que manifestam a intenção de anular o voto ou votar em branco, chega-se a uma multidão expressiva: 37% do eleitorado. Trata-se de um percentual idêntico à taxa de intenção de voto que o Ibope atribui a Dilma (37%), bem acima da soma dos índices amealhados por Aécio (16%) e Campos (6%).
Repetindo: se os 37% de eleitores insatisfeitos ou indecicisos resolvessem apoiar José das Couves, esse presidenciável fictício entraria na briga empatado com a ainda favorita Dilma Rousseff. No seu movimento fluvial, os eleitores do candidato das Couves escoam rumo ao desalento com a política. Essa turma informa que, a seis meses da eleição, não se sente representada por nenhum dos candidatos de carne e osso à disposição. Triste.

Vídeo: PMs de Alagoas torturam jovem. Motivo: tatuagem



Não tem graça nenhuma na gargalhada que encerra o vídeo (veja acima) no qual policiais alagoanos participam de uma sessão de tortura contra um jovem algemado e humilhado diante de uma câmera. O motivo da violência covarde era a tatuagem de um palhaço que o jovem franzino imprimiu em sua pele negra.
Na linguagem do crime a figura representa o ódio a policiais ou até mesmo a indicação de que o tatuado já matou algum policial. Não era um espetáculo circense, mas a pancadaria divertiu uma plateia sedenta pela morbidez de ver um “bandido” ser vingado por outros criminosos escondidos pela autoridade de seus cargos.
De boné amarelo, braços algemados para trás e olhar aterrorizado, o jovem chama de “doutor” cada um dos integrantes do suposto grupo de autoridades. E é obrigado a afirmar ser “cuzão, zé ruela e viado” [sic] para a câmera. Também é forçado a prometer que vai apagar a tatuagem de palhaço, “quando sair da prisão”. Tudo isso entre tapas, socos e risadas.
A reação mais violenta acontece quando o jovem chama um dos torturadores pelo nome: “Ô, doutor! Eu não fui pego com nada, o senhor mesmo viu! Ô, seu Maninho, eu sou usuário de maconha...”, diz o torturado, antes de ser interrompido com um tapa e um alerta: “Oxe! Não diga o nome dele, não, no vídeo! Não fale o nome do cara, não!”. O jovem pede desculpa, antes de levar outro tapa e ser repreendido novamente: “Nem o meu [nome]!”.
'Oxe, doutor! O senhor vai mostrar isso para todo mundo, doutor? Por favor, doutor!'. De nada adiantou o pedido da vítima da tortura. As imagens circulam nas redes sociais, inclusive em grupo restrito a jornalistas, desde a tarde de ontem.

No inferno astral

     No inferno astral
Pesquisa do Vox Populi contratada pela revista Carta Capital confirma a queda na popularidade da presidente Dilma já identificada lá atrás pelo Ibope e Datafolha. Um dado que chama atenção é que a população está praticamente dividida em relação à sua gestão.
Enquanto 32% se mostram satisfeitos, 28% rejeitam não apenas o Governo, mas o estilo de governar de Dilma. Há muito, desde as manifestações de junho do ano passado, a presidente não consegue passar uma semana sequer sem que haja um fato negativo envolvendo o seu governo.
O maior desgaste tem sido provocado pelo mega escândalo na Petrobras, que pode piorar se a oposição conseguir instalar uma CPI para apurar todas as irregularidades. A propósito, o PT recebeu pesquisa nacional mostrando que o Brasil rachou ao meio no caso da compra da refinaria de Pasadena pela Petrobras.
Cerca de 50% dos entrevistados tomaram conhecimento dos fatos e, destes, 56% avaliam que houve “negligência do governo”. Os estrategistas do Planalto aguardam a decisão da ministra Rosa Weber (STF) para preparar a reação. Até lá, segue a linha de acusar os críticos de inimigos da Petrobras.
A avaliação interna é de que as denúncias envolvendo a empresa e o debate sobre a criação de uma CPI no Congresso trouxeram um ambiente negativo ao País, que acabou ajudando na queda da avaliação do governo e da própria presidente na corrida presidencial.
A pesquisa já havia detectado que o controle da inflação também foi avaliado negativamente.  Existe uma preocupação com a instalação da CPI da Petrobras mesmo em sua versão ampliada, para incluir apuração sobre cartel no Metrô de São Paulo e obras no Porto de Suape.
Articuladores políticos do Planalto têm se mobilizado para evitar a abertura de qualquer CPI sobre o caso, mas há o reconhecimento interno de que será difícil evitá-la, porque o principal aliado, o PMDB, faz 'jogo duplo', nas palavras de interlocutores de Dilma.
NA DEFENSIVA– Dilma e o ex-presidente Lula continuam sem falar a mesma língua na crise da Petrobras. Apesar do constrangimento provocado pela posição divergente da presidente Dilma e do ex-presidente Lula sobre a compra da refinaria de Pasadena, os aliados avaliam que eles não têm interesse em exacerbar o conflito. Mas Lula não está gostando de ver Dilma na defensiva.
O herdeiro?– Apareceu, enfim, um nome na família para herdar o espólio eleitoral da ex-deputada Ana Arraes, hoje conselheira do Tribunal de Contas da União, na disputa proporcional: o advogado Antônio Campos, irmão do ex-governador Eduardo Campos. Se sair de fato federal, tende a superar as votações de Felipe Carreras e Tadeu Alencar, também do núcleo eduardista.

Esculhambação geral– No Interior, tem sido comum a mudança no regimento das câmaras municipais para antecipar a eleição da mesa diretora do biênio 2015-2016. O exemplo mais recente vem de Surubim, que ontem reelegeu o presidente da Casa, Fabrício Amorim (PSD), cujo mandato tem validade até o fim do primeiro biênio, em dezembro próximo. É o jeitinho brasileiro de burlar as leis!
Renúncia, já!- O líder do PT na Câmara, deputado Vicentinho (SP), defende abertamente a renúncia do deputado licenciado André Vargas (PT-PR) ao mandato parlamentar. 'Nossa expectativa é que ele renuncie. Acho que a renúncia ao mandato é o melhor para ele. É o que nós esperamos até para não ficar sangrando permanentemente.'
Pajeuzeiro homenageado- Pernambucano de Tabira, o juiz Mozart Valadares será agraciado, na próxima segunda-feira, com a Medalha da Inconfidência Mineira, a mais expressiva comenda outorgada pelo Estado de Minas Gerais. A homenagem é fruto da efetiva participação do magistrado na abolição do nepotismo do serviço público brasileiro e da aprovação da Lei da Ficha Limpa.



CURTAS
AH, BOM!– O ex-prefeito de Carnaíba, Anchieta Patriota (PSB), garante que o atual prefeito José Mário teve absoluta autonomia para conduzir as negociações com os agricultores que perderam suas terras para uma usina de cimento e protestaram fechando uma estrada. Mas, estranhamente, a nota à Imprensa veio como uma recomendação de Anchieta.
JOGOU A TOALHA- O ex-prefeito de Brejão, Sandoval Cadengue (PSB), desistiu de disputar um mandato de deputado federal, mas apoiará o deputado estadual Marcoantônio Dourado, do mesmo partido, que tenta a reeleição.
Perguntar não ofende: Sai a CPI da Petrobras ou a CPI do Fim do Mundo?
'Há alguns que se fazem de ricos, e não têm coisa nenhuma, e outros que se fazem de pobres e têm muitas riquezas'. (Provérbios 13-7)

quinta-feira, 17 de abril de 2014

Sport derrota Náutico e tem vantagem na final

Sport foi melhor nos primeiros 90 minutos da decisão e largou na frente. (Foto: Hesíodo Góes/Folha PE)
RÔMULO ALCOFORADO/FOLHA PE
A vantagem é toda leonina. Dentro da Ilha do Retiro, o Sport fez valer sua inegável força, passou pelo ferrolho do Náutico e deu passo importantíssimo na primeira partida da decisão do Campeonato Pernambucano: 2 x 0. Os gols marcados por Patric e Neto Baiano no segundo tempo da partida são significativos. Eles – o regulamento do campeonato- garantem à equipe vermelha e preta pelo menos os pênaltis no duelo de volta. O Rubro-Negro está muito perto do 40°troféu estadual e da segunda taça da temporada. Ao Timbu, cabe o consolo único de saber que qualquer vitória no confronto da Arena Pernambuco, na próxima quarta-feira, leva a disputa para a marca fatal.
O primeiro tempo de partida seguiu o roteiro pré-estabelecido das partidas anteriores. O Náutico marcava com os 11 atrás da linha do meio-campo – e, por vezes, até atrás da linha da bola. O Sport, diante de tamanha resistência, tentava furar o bloqueio pacientemente. As principais jogadas eram articuladas pelos lados do campo, principalmente na direita, com Patric e Felipe Azevedo.
Embora não tenha conseguido exercer enorme pressão sobre o adversário, o Sport assustou em algumas ocasiões. Aos seis minutos, o volante Ewerton Páscoa tentou um chute de fora e mandou para longe. A segunda chegada, aos 10, foi mais perigosa. Aílton fez belo passe para Azevedo, nas costas de Rai. O atacante bateu com força – e Alessandro praticou defesa segura.
Em relação ao Náutico, se é justo admitir que o time se defendeu bem, é igualmente necessário afirmar que o ataque não funcionou. O Timbu chegou apenas uma vez com real perigo: Zé Mário tentou um chute de fora aos 22. Magrão espalmou a bola venenosa.
No terço final do primeiro tempo, o Sport voltou a concentrar ações ofensivas. Aos 39, Neto Baiano cabeceou entre dois adversário, quase na pequena área, mas mandou para fora. Aos 42, Felipe Azevedo tentou completar cruzamento rasteiro de Patric, mas parou em Alessandro.
Na volta do intervalo, Lisca fez duas substituições: sacou Marcos Vinícius e colocou Vinícius. Tirou Leleu e pôs Marcelinho. Eduardo Baptista mexeu em apenas uma peça: descansou o veloz mas improdutivo Felipe Azevedo para a entrada de Ananias. O Timbu manteve a postura defensiva, mas adiantou as linhas de marcação. Tentou apertar o Leão.
Mas, precavido com as derrotas anteriores, o Sport não se desesperou com o resultado em branco. Dedicada e pacientemente, esperou uma brecha na defesa adversária para marcar. Bem postado, o Náutico deu poucas chances. Mas deu. E o Leão aproveitou-as. Aos 19 do segundo tempo, Patric pegou uma bola dentro da área, de primeira, na veia. Sem chance para Alessandro. Um a zero para o Rubro-Negro.
O gol obrigou o Náutico a ir adiante. Mas o time alvirrubro não é programado para isso. Tem pouca qualidade para propor o jogo. O Sport aproveitou a inépcia do Timbu para criar jogadas e deu o bote fatal. Aos 39, Neto Baiano – como quase sempre- estufou as redes. Dois a zero para o Leão. E toda a vantagem para o jogo da volta ao Sport.
Sport 2
Magrão; Patric, Ferron, Durval e Renê; Rodrigo Mancha, Ewerton Páscoa (Rithely) e Aílton; Wendel (Renan Oliveira), Felipe Azevedo (Ananias) e Neto Baiano. Técnico: Eduardo Baptista.
Náutico 0
Alessandro; Jackson, Flávio, Leonardo e Rai; Dê, Yuri, Zé Mário, Marcos Vinícius (Vinícius) e Leleu (Marcelinho); Paulo Júnior (Geovane). Técnico: Lisca.
Local: Ilha do Retiro
Horário: 22h
Árbitro: Wilton Sampaio (DF)
Assistentes: Elan Vieira de Souza e Wlademir de Souza Lins (ambos de PE)
Gols: Patric (aos 19 do 2T) e Neto Baiano (aos 39 do 2T)
Cartão amarelo: Zé Mário, Flávio (Náutico); Ewerton Páscoa, Patric, Ferron (Sport)
Público: 26.173
Renda: R$ 496860,00

Mais dois artistas “fecham” com Eduardo-Marina

Após o ex-ministro e cantor Gilberto Gil, que é filiado ao PV, ter indicado apoio às postulações presidenciais do ex-governador Eduardo Campos (PSB) e sua candidata a vice, Marina Silva (PSB), outros dois artistas “fecham” com a dupla socialista. Tratam-se do ator Marcos Palmeira e o cineasta Fernando Meirelles. O primeiro, inclusive, já havia participado do projeto de Marina, em 2010, quando ela teve mais de 19 milhões de votos naquela corrida pelo Palácio do Planalto. A informação é da colunista Renata Bezerra de Melo, da Folha de Pernambuco.
Confira a nota que destaca o fato neste quinta-feira (17):
CULTURAL - O ator Marcos Palmeira e o cineasta Fernando Meirelles já gravaram vídeo em apoio à chapa de Eduardo Campos e Marina Silva. Não participaram do evento, em Brasília, de lançamento do “casal”, mas no bastidor, andam dando toques na construção da campanha.

Eduardo tem o maior poder de crescimento

Coluna Fogo Cruzado – Folha de Pernambuco – 17 de abril
O Datafolha constatou que 27% dos eleitores não votam em Eduardo Campos de jeito nenhum
À moda dos institutos de pesquisa dos EUA, o Datafolha fez uma análise combinatória dos dados extraídos do seu último levantamento sobre as intenções de voto dos eleitores para presidente da República e chegou à conclusão de que o candidato com o maior potencial de crescimento é Eduardo Campos: 63%. Foi avaliado o grau de afinidade do eleitor com os candidatos, e com base nas respostas se chegou a 04 categorias: eleitores convictos (não admitem mais mudar o voto), eleitores volúveis (já escolheram um candidato mas admitem mudar de opinião), eleitores potenciais (não escolheram ainda o candidato mas admitem votar nele) e eleitores “causa perdida” (não votam no candidato de jeito nenhum). Pelo último Datafolha, o pré-candidato do PSB tem 7% de eleitores convictos, 3% de eleitores volúveis, 53% de eleitores potenciais e 27% de “causa perdida”. Só falta agora um discurso convincente e tempo de televisão.
Para Jarbas Maranhão
O decano do TCE, Carlos Porto, aproveitou ontem a sessão do pleno para prestar uma homenagem ao conselheiro aposentado Jarbas Maranhão, que morreu no RJ na semana passada aos 98 anos de idade. Ele lembrou que ao encerrar o mandato de senador em 1962 Jarbas ficou desempregado e quem passou a sustentá-lo foram os familiares. E que os colegas do Senado, por unanimidade, propuseram ao então presidente João Goulart que o fizesse ministro do TCU.
Brizolismo – Paulo Rubem (PDT) não tem dúvida de que seu partido vai mesmo marchar com Dilma nas próximas eleições, mas nem por isso deixará de ter uma “posição de independência” em relação ao governo. Lembra que a bancada pedetista no Congresso votou a favor da redução da jornada de trabalho para 40 horas semanais e pelo fim do chamado “fator previdenciário”.
Adjunto – O auditor do TCE, Adailton Feitosa Filho, aceitou convite feito pelo colega auditor, José Francisco Cavalcanti Neto, e será o adjunto dele na Secretaria de Administração.
Ajuda – O advogado Joaquim Lira, filho do prefeito de Vitória, Elias Lira (PSD) e candidato a deputado estadual pelo PSD, recebeu “apoio político” do Palácio para garantir sua eleição.
Eleitorzão – Todas as pesquisas feitas no Recife estão confirmando que o prefeito Geraldo Júlio (PSB) será um importante cabo eleitoral de Paulo Câmara (PSB) na eleição de governador.
Atraso – Humberto Costa (foto) disse no Senado que a licitação do “Arco Metropolitano” foi suspensa pelo Dnit porque o projeto encomendado pelo Governo do Estado previa a sua execução por uma PPP (parceria público-privada) e não pelo Governo Federal.
Tradição – Yves Ribeiro (PSB), ex-prefeito de Paulista e pré-candidato a deputado estadual, apoia Tadeu Alencar (PSB) para federal mas acha que o majoritário no município será Jarbas Vasconcelos (PMDB), “que sempre foi forte em todo o litoral norte”.
Convergência – Roberto Magalhães e FHC, que tiveram divergências no passado quando eram, respectivamente, prefeito do Recife e presidente da República, convergem num ponto da reforma política. Ambos estão convencidos de que a 1ª e mais urgente reforma que precisa ser feita para melhorar a qualidade de nossa representação política é a implantação do voto distrital.
Desafio – Logo que tomou conhecimento de que um primo legítimo de Danilo Cabral (PSB) apostara R$ 5 mil em Paulo Câmara (PSB), contra Armando Monteiro (PTB), dando 300 mil votos de vantagem, o ex-prefeito de Sanharó, Geovane Freitas (PTB), o desafiou para uma nova aposta. Freitas é Armando, oferece R$ 10 mil contra R$ 5, e dá 600 mil votos de vantagem.

Armando lidera com folga em pesquisa feita pelo Vox Populi

Armando Monteiro _ Foto Alexandre Albuquerque - Divulgação
Pesquisa feita pelo Instituto Vox Populi, por encomenda do PT, revela que o senador Armando Monteiro (PTB) lidera com folga a corrida eleitoral pelo Governo de Pernambuco.
Segundo a coluna “Folha Política”, do jornal Folha de Pernambuco, que a divulgou com exclusividade nesta quarta-feira, o pré-candidato do PTB tem 55% das intenções do voto, ante 7% do pré-candidato do PSB, Paulo Câmara.
Os dados foram divulgados três dias após publicação, pelo Jornal do Commercio, de pesquisa do Instituto Maurício de Nassau em que o senador apareceu com 38% de intenções de voto, ante 13% do candidato da Frente Popular.
Para o Senado, o pré-candidato do PT, João Paulo, tem 48% de intenções de voto, ante 14% do ex-ministro Fernando Bezerra Coelho (PSB).
A pesquisa foi realizada entre 29 de março e 2 de abril com 1.200 questionários e está registrada no Tribunal Regional Eleitoral.

Eduardo defende punição para irmão de FBC em caso de culpa

Foto: Agência Brasil
Foto: Agência Brasil
Da Agência Estado
O pré-candidato do PSB à Presidência da República, Eduardo Campos, defendeu na noite desta quarta-feira (16) em Campinas punição severa para o irmão do ex-ministro e candidato ao Senado pelo partido Fernando Bezerra, Clementino de Souza Coelho, caso seja provado seu envolvimento com movimentações financeiras irregulares envolvendo o doleiro Alberto Yousseff.
O ex-governador disse que está “completamente tranquilo” e que acredita que as acusações contra o irmão do ex-ministro não afetarão sua campanha. “Não se trata do Fernando Bezerra, trata-se do irmão dele”, afirmou Campos durante seu primeiro ato na peregrinação que fará pelo País como pré-candidato.
Campinas é a maior cidade paulista governada pelo PSB. Ao lado do prefeito local, Jonas Donizette (PSB), Campos teve que abrir sua entrevista coletiva respondendo sobre as acusações contra o irmão de Bezerra.
“Essa pessoa, que é parente de um filiado do PSB, ela deve prestar todos esclarecimentos. Ele não tem nenhum envolvimento com o PSB. Se e ele fez algo errado, ele tem que ser punido como qualquer outro.”
O ex-governador de Pernambuco, ligado politicamente a Bezerra, que ocupou cargo de ministro no governo Dilma Rousseff, negou qualquer relação entre a indicação de Bezerra e Coelho.
“O irmão dele estava lá (no governo federal) desde 2003, no primeiro governo do presidente Lula, quando ele estava no PPS. Quando ele (Bezerra) chegou, o irmão teve que sair por força da legislação brasileira”, explicou Campos.
Segundo ele, Bezerra era prefeito em 2003 e Coelho foi candidato a deputado, perdeu e acabou convocado para a Codevasf. Campos argumentou que foi o PSB que viabilizou a CPI que investigará a Petrobras e o doleiro Yousseff e que, por isso, exigirá apurações.
“O PSB foi o partido que viabilizou a CPI. Nós fizemos isso exatamente para que a sociedade possa ver tudo apurado doa a quem doer toque que tocar. A lei é para todos.” “Eu quero que a Polícia Federal apure, que o Ministério Público apure e que a Justiça julgue. Se ele (Coelho) tiver culpa, ele tem que ser punido severamente”, afirmou Campos.

Ah, bom!

 Mais um preso do Complexo Penitenciário de Pedrinhas, em São Luís do Maranhão, apareceu morto nesta semana, enforcado na cela. Desde este último sábado, é a terceira morte de preso em Pedrinhas; neste ano, já morreram sete. O Complexo Penitenciário de Pedrinhas é aquele em que, desde outubro do ano passado, ocorrem incessantemente mortes e rebeliões. O presídio está em péssimas condições, e superlotado; tão superlotado que a governadora Roseana Sarney, PMDB, prometeu abrir urgentemente novas vagas.
A julgar pelas obras que não se iniciaram e pelo número de mortos, que vai aumentando, a promessa da governadora, embora na época não tenha sido entendida, já está sendo cumprida. (Carlos Brickmann)